Advogados da Amazon não acham que ex e atuais CEOs deveriam testemunhar na investigação da FTC

No contexto: Não é segredo que a presidente da FTC, Lena Khan, não gosta da Amazon. Seu artigo acadêmico “O paradoxo antitruste da Amazon” deixa bem claro que ela vê a empresa como um monopólio ou, no mínimo, um potencial fiasco antitruste. A Amazon contestou sua posição em várias ocasiões. Sua mais recente disputa legal diz que sua entrega de CIDs a executivos e pedidos de audiências individuais não são nada além de “assédio pesado” na investigação “aberta” da FTC sobre o Amazon Prime.

Esta semana, a Federal Trade Commission (FTC) divulgou um documento de 5 de agosto da Amazon que procura com licença o ex-CEO Jeff Bezos e o atual CEO Andy Jassy de fornecerem depoimentos em uma investigação. A equipe jurídica chama a investigação de “pesada” e diz que as demandas investigativas civis (CIDs) entregues a Bezos e Jassy tinham como objetivo assediar os executivos.

A moção busca anular ou limitar os “CIDs Individuais”. A Amazon considera que a realização de audiências individuais (IHs) para cada executivo é desnecessária e não seria propícia ao processo de descoberta. Os advogados afirmam que Bezos e Jassy não têm “conhecimento único” dos assuntos em questão. Isso quer dizer que a FTC não obteria nenhuma informação útil deles que não pudesse reunir de outros funcionários ou departamentos da Amazon.

Além disso, o conselho da Amazon acha que a lista de perguntas “abertas” do CID está bem fora do escopo da investigação.

“A exigência da equipe de que o Sr. Bezos e o Sr. Jassy testemunhem em uma IH (audiência individual) em uma lista aberta de tópicos sobre os quais eles não têm conhecimento exclusivo é grosseiramente irracional, indevidamente onerosa e calculada para servir a nenhum outro propósito além de assediar os executivos de mais alto escalão da Amazon e interromper suas operações comerciais”, diz o documento.

O documento não entra em detalhes, mas a Bloomberg observa que a investigação iniciado em março de 2021, quando a FTC começou a analisar os processos de inscrição e cancelamento do Amazon Prime. Então, em junho de 2022, expandiu a investigação para incluir cinco serviços de assinatura não relacionados, um dos quais operado por um provedor terceirizado, mas facilitado pela Amazon.

“O CID de junho de 2022 é impraticável e injusto, refletindo menos um esforço responsável para coletar os fatos sobre uma variedade de programas de assinatura de longa data e altamente populares do que um esforço unilateral para forçar a Amazon a atender a demandas impossíveis de satisfazer”, o disseram os advogados. “O CID de junho de 2022 ‘vai além da inscrição e cancelamento do Prime para varrer pelo menos cinco programas de assinatura adicionais, cada um com seus próprios fatos, história e pessoal exclusivos”.

O amplo escopo e a complexidade das investigações levaram a equipe jurídica a concluir que nenhuma testemunha poderia estar razoavelmente preparada para ajudar no processo de descoberta em audiências individuais. Assim, os CIDs da FTC representam apenas o assédio do pessoal.

Resta saber se a moção para anular será concedida. Esses desafios são rotineiros em situações como essa e muitas vezes só dão mais tempo para o réu se preparar.

No ano passado, a Amazon apresentou uma moção exigindo que a recém-nomeada presidente da FTC, Lina Khan, se abstenha de qualquer processo contra a Amazon, alegando que ela é tendenciosa e busca quebrar a empresa que ela vê como um monopólio por qualquer meio. Essa petição foi negada.


Link do Autor
Total
0
Shares
0 Share
0 Tweet
0 Share
0 Share
0 Pin it
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts